Sobre os contos da Vivi Maurey

Hoje venho divulgar uma coisa muito legal! Não gente, não é livro novo! Calma. Nem comecei a escrever ainda. Vim falar sobre contos, mas também não é meu, gente. Estou temporariamente off. Os contos que vim falar hoje são da Vivi Maurey. Para quem não sabe, a Vivi é uma das colaboradoras lindas desse blog. Vocês já devem ter lido algum post escrito por ela e se não leram… deviam ler, hein?! Os textos dela são muito legais e eu indico o “Proibido dissertar, sem dissecar”, por exemplo, ou “Do Trabalho com livro”. Ai, vocês leram “Guerra dos Spoilers”? Ih… tem muita coisa para fazer então, que bom que hoje é sábado e vocês tem o fim de semana todo pela frente.

Nesse último mês a Vivi se empolgou e publicou pela Amazon três continhos. Eu fiquei super duper feliz pela amiga, mas demorei para ler por conta da turnê. Nessa semana, assim que tudo terminou, coloquei a leitura em dia, começando por “Entre duas gotas de chuva”.

IMG_7550

“Entre duas gotas de chuva” narra uma tarde entre mãe e filha, que brincam com a imaginação e a realidade.

Quando comecei a ler, não pude parar de lembrar da brincadeira que fazia com papai quando era criança. Nós não inventávamos histórias para os outros, mas ele adorava perguntar se os caras que passavam na rua eram mais gordos que ele. Para mim isso era uma diversão, então pude imaginar como a menina se sentia brincando de inventar a história de desconhecidos com a mãe. O conto é fofo e o final, verdadeiro. Ele me fez refletir sobre essa mania que o mundo tem de viver a vida dos outros e não aproveitar a nossa própria, de achar que tudo que acontece com o próximo é mais interessante do que o que acontece com a gente.

IMG_7549

“Papel de Sangue” conta a história do escritor Dan, que tem uma hora para entregar o manuscrito prometido ao seu editor. Dan está com problemas, pois para conceber a história ele precisa de novos personagens e, para criá-los, tem que extrair o próprio sangue. Quanto mais sangue, mais personagens, porém há um limite. Será que Dan vai aguentar?

Gente, li esse conto com o estomago embrulhado. Ele é pequenino, mas nada me tirou da leitura nos minutos que parei para ler. Eu fiquei nervosa e ansiosa pelo final e enjoada com todo sangue derramado. Preciso dizer que DETESTO sangue. Ô, Vivi! Pega mais leve, né?! Hehe O conto é bem escrito e te deixa preso até o final. Mas o melhor (ou pior) de tudo é que, apesar de ser narrado de maneira macabra, a vida do escritor é exatamente da forma que a Vivi conta. É claro que não damos sangue de fato ao escrever um livro, mas eu considerei-o uma metáfora para a energia que gastamos quando sentamos para desenvolver uma ideia. Quando eu termino um livro, estou esgotada, preciso dormir durante uma semana para repor minha energia. Não que seja ruim, mas é que tiramos muito de nós quando escrevemos. E como o conto diz: quanto mais energia, mais personagem. (hehe)

IMG_7548

O Jogo da MoedaTrês amigas decidem jogar o Jogo da Moeda.  A regra é simples: você faz uma pergunta e a resposta pode ser sim ou não. Cara ou coroa. O espírito que responde às perguntas pode ser bom ou ruim. Ter boas ou más intenções. E por trás da brincadeira, uma das três esconde um segredo que pode colocar a vida de todas em risco. 

Vou ser bem sincera com vocês. Quando comecei a escrever esse post, só tinha dois contos lidos e a minha ideia era indicar esse terceiro para deixar vocês curiosos. Só que… adivinha só! Eu fiquei curiosa e não consegui terminar esse texto antes de ler “O Jogo da Moeda”. Primeiro eu preciso dizer que AMO história de terror, porém eu MORRO de medo de tudo, então li esse conto encolhida na cama com medo da luz piscar e da televisão acender de repente e ficar na tela estática (só vai entender quem ler o conto – hehe). Eu super sei que a Vivi é contra ler histórias rapidamente, mas não teve como! Acho que foi um combo de “não posso parar, essa história está muito legal” com “ai, meu Deus, vamos chegar ao fim porque não posso mais ficar com medo”. E a cada frase lida eu pensava “preciso apresentar isso para o Alex, ele vai adorar fazer um curta de terror”. (Alex é um amigo meu que trabalha com áudio-visual). Povo, resumindo: a história é boa e se você gosta de sentir aquele medinho gostoso, corre para ler.


Todos os contos da Vivi podem ser encontrados na Amazon por apenas R$1,99, isso mesmo gente UM E NOVENTA E NOVE! Mais barato que banana! (haha) Se vocês ficaram interessados é só clicar nos títulos, o link leva vocês direto para a página no site. Eu recomendo e quero saber o que vocês acharam da dica! Me contem tudinho depois de lerem, tá?!

Inté, povo!

Beijinhos

***

Ass.LulyTrigo