O que é Slutshaming e por que não fazer!

O assunto da coluna de comportamento de hoje é super delicado. Slutshaming é um tipo de bullying que aparece bem menos na mídia, mas também é sério e traumático. É uma expressão que pode ser traduzida como ridicularizar uma menina por ser “fácil”. Mas… o que seria isso?

Para machistas (e existem meninos e meninas machistas), muita coisa. Saia curta, número de meninos que já beijou, falar palavrões. Ou seja, sair de um padrão previamente estabelecido sobre o que cabe ou não a uma moça “de família”. E o conceito sobre o que é ser uma “moça de família” está ligado a questões conservadoras, que controlam a liberdade feminina, e que são apoiadas até mesmo por algumas mulheres – que por falta de opção ou conhecimento de sua situação, acabam entrando no meio disso.

"Não é ok fazer slut shaming"

“Não é ok fazer slut shaming”

Para quem pratica slutshaming, certas atitudes só são válidas para os meninos. Por exemplo, enquanto o garoto que beija um grande número de meninas é considerado garanhão, a garota que pega vários é considerada rodada ou fácil. É um direito que, para muitos, não cabe às mulheres. Não importa se elas são pessoas decentes, solidárias, gentis, educadas e tem diversas outras qualidades. No slutshaming, a dignidade de uma mulher ou menina, está ligada ao seu comportamento com o sexo masculino.

Criticar uma menina pelo que ela veste também é considerado slutshaming. É mais uma forma de controlar a autonomia feminina, ou seja, as próprias decisões sobre o seu corpo. Escolher o que vestir é uma forma de expressão, e não um fator que desvalorize uma garota. Meninos não andam sem camisa por aí? Usar saia curta não significa nada além da escolha de usar saia curta. Não é nenhum tipo de provocação ou desejo de se exibir. Há alguns anos atrás, uma moça que costumava usar roupas mais decotadas foi ofendida publicamente na faculdade. O acontecimento foi gravado em vídeo e ela ficou nacionalmente famosa. Mas quantas pessoas passam por isso diariamente e não tem a chance de punirem aqueles que as humilham por suas escolhas pessoais?

"Então você gosta de fazer slut shame? Por favor, me fale como as escolhas pessoais de alguém afetam a sua vida"

“Então você gosta de fazer slut shame? Por favor, me fale como as escolhas pessoais de alguém afetam a sua vida”

Não existe uma fórmula para acabar com o slutshaming, mas nós podemos tentar combater esse tipo de preconceito. Colocar-se no lugar da menina criticada é um começo, afinal, nenhuma de nós está livre. Basta ser mulher para correr o risco de passar por algo semelhante. Também não devemos julgar as opções de cada pessoa, pois ninguém precisa viver de acordo com o que nós acreditamos – sem interferir na vida dos outros, é claro. Essa postura ajuda na união entre aqueles que acreditam em uma sociedade baseada em direitos mais igualitários para meninos e meninas. Logo, atitudes como slutshaming serão apenas parte de um passado vergonhoso, que não deixaremos as futuras gerações reproduzirem.

Post escrito por Julia Manzano