Fazer o bem sem olhar a quem!

Baloes

Os meus leitores mais antigos sabem que uma vez ou outra gosto de fazer intervenções pela cidade do Rio de Janeiro. Tudo começou na verdade quando morei em NY e o mosquitinho que me picou com esta ideia se chama Isadora Dantas. Eu conheço a Isa, se eu não me engano, desde que eu tinha 13 anos e sempre fiquei admirada pela felicidade dela. Sabe aquelas pessoas que quando entram no quarto  é como se tivessem acendido a luz, pois a gente não consegue evitar sorrir?! Pois é, esta é a Isa. Ela sempre teve um astral incrível e foi durante muito tempo minha “role model”. Acho que ainda é, pois continuo admirando e babando as suas ideias e sua energia, que fica a cada dia mais positiva, se isso é possível. Pois bem, a Isa tem um blog chamado “IsaWonderful World” e ela me chamou para participar de dois projetos. É claro que eu fiquei super animada de ajudá-la, mas não tinha nem ideia no que eu estava me metendo. Nós servimos café gratuito em uma estação de metrô de NY e distribuímos chocolate. Apesar da recusa do povo nova iorquino, os poucos que aceitavam a gentileza ficavam muito animados e felizes. Eles ficavam surpresos com aquela ação diferente, que não estavam acostumados. E este sempre foi o objetivo, quebrar a rotina dessas pessoas, tirando um sorriso quando elas menos esperam. Essas duas missões me deixaram com gostinho de quero mais e quando voltei para o Rio participei de uma mega intervenção, da Isa também, mas que agora era mundial. Ela pediu para que um amigo de cada parte do mundo fizesse uma intervenção em sua cidade. Euzinha soltei 15 balões vermelhos com mensagens de carinho. Depois disso, não consegui mais parar. Já distribuí pelo Rio 15 flores em carros. Já foram mais de 20 livros espalhados por cafés, taxis, ônibus… Corações deixados em bancadas de todos os tipos de estabelecimentos. Mas o mais legal de todos aconteceu no dia 28/10/2013, no meu aniversário de 25 anos.

Eu tinha assistido ao vídeo do Lucas Jatobá e tinha me encantado pela sua ação. Eu chorava assistindo ao vídeo dele, emocionada pelo gesto. Quando o vídeo terminou, eu não tive dúvida do que faria no meu “próximo” aniversário. Aquela era uma ótima maneira de devolver ao mundo o que ele estava me dando. 2013 tinha sido um ano tão incrível… E foi isso que eu fiz. Eu embrulhei 25 livros e dei de presente para 25 estranhos na rua. A sensação de fazer aquilo tudo é indescritível, eu nunca tinha me sentido daquele jeito. Ao mesmo tempo em que eu tinha vergonha de falar com as pessoas na rua assim, eu amava ver a reação delas quando descobriam porque tinham sido paradas. Algumas ficavam mais animadas do que outras, mas era sempre o máximo! Foi ali que eu senti, com toda a certeza, que era bom demais fazer o bem ao próximo.

Antes de vocês assistirem ao vídeo, gostaria de responder a uma pergunta que muitas pessoas me fazem: Nenhum dos 25 livros era “Carnaval”. Meu objetivo nessa brincadeira em momento nenhum foi me promover. Eu queria mesmo fazer o bem a outra pessoa, sem retorno. Não me apresentava a ninguém, não falava meu nome e nem o que eu fazia da vida. Ninguém sabia quem eu era, com a exceção de dois presenteados. O 1° me reconheceu na rua, pois sua irmã era minha leitora. Já 2° ficou tão curioso com a ação e me encheu com tantas perguntas, que  acabei contando a minha “história”.

Bom, chega de “blá, blá, blá”, né?! Quem gostar, compartilhe o vídeo! Vamos espalhar o amor! <3

[vsw id=”9KEiY-ALQhQ” source=”youtube” width=”600″ height=”485″ autoplay=”no”]