Cartas Que Não Escrevi #15

Cartas

Ilustração: Isadora Marília

As conversas não foram suficientes e eu cansei de repetir.

Na verdade, acho que não vale a pena. Isso só desgasta a nossa relação. Não quero que você me odeie, que pense mal de mim, que ache que estou com ciúmes, inveja ou o que te falarem sobre essas nossas discussões.

Resolvi te escrever para te dizer tchau. Muito a contra gosto, é verdade. Não queria fazer isso. Não queria precisar dessa distancia, mas você não me deixa opção.

Fui com a sua cara desde a primeira vez que nos vimos. Ainda crianças nos demos tão bem. Amizade assim não é fácil achar, por isso é tão difícil dizer adeus. Adeus não, até logo. Assim espero.

Não me entenda mal. Não quero que as coisas não dêem certo. Não te desejo mal e nosso histórico deveria ser a prova disso. Sempre fomos unha e carne. Quero que saiba que apesar de tudo estarei aqui esperando você de braços aberto. Não vou apontar o dedo, não vou dizer que tinha razão.

Não que eu esteja prevendo o fim para algo que nem começou (de novo), mas queria que soubesse que SE acontecer, estarei por aqui. Não vou dizer nada, só vou te escutar quanto tempo for preciso. Você sempre foi e será minha melhor amiga, apesar da distancia no espaço e no tempo.

Eu espero de verdade que ele te faça bem, que ele não seja mais aquele garoto que já te machucou tantas vezes. Que ele faça tudo que fala para você, que seja um novo homem e que não seja só da boca para fora.
Boa sorte daqui para frente. Saiba que estarei sempre pensando em você.

PostAutorLuly

Do trabalho com livros

Você sabe o que um editor assistente faz? Você conhece a produção editorial? Já pensou como seria trabalhar com livros?

books

Falar de editorial não é fácil, mas muitas pessoas me perguntam o que eu faço, então decidi resumir bem resumido um pouquinho da função como um todo. E que fique claro que, se eu ganhasse um real para cada item listado de coisas que se tem para fazer na profissão, estava rycah!

Na teoria, a função do editor assistente consiste em “cuidar” do livro do início ao fim. Isso significa passar por todos os processos editoriais a partir da contratação do título até o momento em que o arquivo é liberado para a gráfica. Parece simples, mas planejar dezenas de livros de uma vez não é tarefa fácil; e na prática é tudo isso e mais um pouco.

Depois que a pessoa de aquisição compra os direitos de publicação de um livro, é responsabilidade do editorial enviar o original a um tradutor, em seguida, um copidesque (que vai comparar a tradução com o arquivo original), depois alguém (provavelmente o editor assistente) vai liberar esse trabalho de cotejo, sanar todas as dúvidas e resolver o que tiver pra resolver, passar para as revisões e, por último, solicitar a diagramação. Em paralelo, tem tooooodo um processo para a capa também, assim como orçamentos com gráficas, fechamento do arquivo e muuuitos outros detalhes…

Jk-rowling

Esse trabalho de gerência é o básico. A pessoa que já é safa conhece os colaboradores todos, seus gostos e seus autores prediletos, e quase sempre sabe para quem passar cada livro por ter um determinado estilo. O ideal é estar a par de tudo o que acontece com a programação do ano inteiro; isto é, saber em que pé está cada livro, ou seja, qual etapa editorial, quem é o autor, qual a história, se o livro vai seguir a capa estrangeira ou se vai precisar encomendar uma nova… E ainda tem a questão dos prazos. Não é só mandar os trabalhos todos pra fora e não ficar de olho se já foi entregue ou não. Tem que fazer planilhas e pagamentos. Eu sou daquelas viciadas em planilha. Quanto mais completa, melhor. Organização é fundamental. E agilidade. Muita agilidade com direito a redundância. Acho que sem isso você não sobrevive.

image

Também é muito importante para a função ter conhecimento de inglês, projeto gráfico, editoração, sobretudo do mercado editorial… há coisas que são imprescindíveis, outras acredito que se aprende melhor com a prática e ninguém é obrigado a nascer sabendo. Entretanto, quanto mais você tem a acrescentar, mais você pode contribuir para o sucesso de um livro.

As editoras costumam já ter um processo automático então é bacana você levar ideias, formatos diferentes, novos acabamentos e ousados… por isso é necessário que o editorial conheça muito bem os títulos. Ele pode até sugerir, quando apropriado, ações de marketing e materiais promocionais. Se puder conciliar, essa parte pode ser muito divertida. É uma maneira até de se soltar um pouco, desestressar quando algum colaborador atrasa o trabalho, sabe, e você quer arrancar os cabelos, essas coisas…

Enfim… Esse é um resumo dos resumos, porque, por incrível que pareça, em oito horas por dia, a gente consegue fazer tudo isso e mais um pouco. E nem cheguei a comentar dos textos de capa, do contato com os autores, do recebimento de originais, das reuniões, dos eventos, das feiras…

Ufa! Quanta coisa! Mas é bom demais! <3

Bookstore-belle

Trabalhar com livros é a melhor coisa que existe no mundo! Se você se interessa pela área, sugiro ler muito, escrever muito, participar de eventos como Clube do Livro Saraiva, outros clubes, encontros de fandom, muitas idas à livraria… Ah! E buscar uma faculdade de produção editorial e/ou letras para se profissionalizar.

Boa sorte!

Studio 79 – Minhas novas tatuagens

Todos já devem saber por aqui que quando fui a Curitiba fiz 7 tatuagens. Oi? Isso mesmo… se-te tatuagens. Bom, isso é que dá andar com a Mel do Blog Serentipity, afinal hoje ela já soma 12 tattoos espalhadas pelo corpo.

IMG_5188Desde que fiz a minha primeira tattoo, um trigo nas costas, fiquei com vontade de fazer outra, mas nunca soube exatamente o quê. Eu tinha ideias e desistia delas muito facilmente. Quando soube que iria lançar “Meus 15 Anos” em Curitiba não pensei duas vezes. Mandei uma mensagem para a Mel falando “Vamos fazer uma tattoo?” e ela, é claro, respondeu que sim. Me comprometi sem saber o que fazer. #socorro! Vi que a resposta estava sempre comigo enquanto respondia aos leitores. Eu é que não tinha percebido ainda. Quem fala comigo sabe que sou louca por corações. Muitas vezes as mensagens que vocês me mandam são tão cheias de amor e carinho, que eu só consigo responder com corações. É a única forma que eu tenho para mostrar o quanto estou me derretendo por dentro com tudo que vocês me dizem, mostram ou dão.

IMG_5191Então eu comecei a saga de criar o coração perfeito. O que fazer? Como será esse coração? Qual será a cor? Foi quando eu tive a ideia de fazer o que fiz. Não podia escolher só uma cor. Afinal, o vermelho representa o amor sim, mas todas as outras cores do arco-iris são tão importantes quanto. Precisamos também de saúde, sabedoria, equilíbrio, amizade… Então essa foi a segunda decisão que tomei: serão 7 corações.

IMG_5202Mas 7 corações onde? Onde colocarei tantos corações? (Risos) Bom… essa não era difícil. Como cada coração teria um significado, que tal colocá-los nos locais do corpo onde a energia é mais voltada para esse sentido? Ufa! Passei a 3a etapa, pronto! Tatuagem resolvida! Mas peraí….

IMG_5208Senti de repente que não poderia fazer esses corações contornados. Não me pareceria certo. Sempre falo para o meu namorado que meu amor transborda e colocar um contorno preto limitaria todo amor que aquele coração pudesse dar. Pronto! Nada de contorno. Agora sim! “Meeeeeel! Marca a tatuadora”!

IMG_5209Para ver cada coração e saber os significados, fiquem ligados no blog. Farei um post explicando tudinho! Espero que vocês tenham gostado dessa minha maluquice.
As tatuagens foram feitas no Studio 79 pela fofa Sheron Anne! Ela é incrível e já estou pensando no que farei na minha próxima ida para Curitiba.
Já essas fotos lindinhas foram clicadas pela Melina Souza (aka Mel).

PostAutorLuly